domingo, 13 de novembro de 2011

O amor talvez seja uma espécie de vento... Algumas vezes toca levemente a nossa face e, causa aquela sensação de prazer, felicidade, porém, outras vezes sopra tão forte, que derruba tudo que vê pela frente. Algumas vezes, ele é manso e sereno, outras vezes, ele nem aparece... Mais existe! Por mais suave que ele seja, ele existe... Porque amor de verdade é como vento, tem seu estado de euforia, mais também tem suas horas de tranqüilidade... Nunca sabemos como o vento ou o amor irá reagir, mas, uma coisa é certa, ambos nuca morrem, por mais fracos e imperceptíveis que as vezes possam ser, jamais deixarão de existir... Porque nem o amor verdadeiro e nem o vento somem, desaparecem... Apenas nos mostram a suas faces, e nos ensinam a conviver com cada uma delas...

"Você pode até dizer que não entendeu o que eu disse.Mas jamais poderá dizer que não entendeu como eu te olhei."